sexta-feira, 26 de outubro de 2007

SP terá 124 radares da CET em semáforos até março

Estadão
25 de Outubro 2007





Você está num veículo, parado no sinal vermelho. Olha para um lado, para o outro. Não vem nada. Nem veículos nem pedestres - nem um marronzinho com bloco e caneta, pronto para multá-lo. Como a pressa é grande, vem a tentação: por que não avançar o semáforo? Se o cumprimento da lei não é motivo suficiente para fazê-lo esperar, saiba que você poderá ser multado.

A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) está aumentando o número de radares para detectar veículos que não respeitam o sinal vermelho.Nos últimos três meses, foram instalados 22 Registradores Fotográficos de Infrações ao Semáforo (Refis). Em julho, havia 60 espalhados pela cidade. O número de radares deverá chegar a 124 até março.Avançar o sinal vermelho é infração considerada gravíssima pelo Código de Trânsito Brasileiro (CTB).

A multa é de R$ 191,54 e o motorista ganha sete pontos na carteira de habilitação. Com 21, o motorista perde a licença para dirigir. De janeiro a setembro, a CET aplicou 132 mil multas por desrespeito ao semáforo. No mesmo período do ano passado, foram 116 mil multas - quase 14% de aumento.


O total de multas emitidas de janeiro a setembro deste ano foi de 3,02 milhões, maior que os 2,9 milhões do mesmo período do ano passado.EVITAR ACIDENTESSegundo o presidente da CET, Roberto Scaringella, o objetivo da medida é reduzir o número de mortes no trânsito da cidade. Por dia, quatro pessoas morrem nas ruas de São Paulo, vítimas do trânsito. Dessas, duas são pedestres. "Não podemos ampliar indefinidamente o número de agentes para fiscalização." Por isso, os Refis.


"O processo educativo requer o estabelecimento de limites", disse Scaringella, para engatar o seguinte raciocínio: "O sentimento de impunidade causa desrespeito à lei, que causa atitude de risco, que causa acidente, que causa vítimas." Para ele, o comportamento dos motoristas é o principal fator causador de acidentes.O engenheiro de trânsito Célio Bottura disse que apóia a política da CET de aumentar a fiscalização.


Segundo ele, a sensação de impunidade é fator que encoraja motoristas a cometer infrações. "Apesar de muitos falarem em indústria de multas, acho que não dá para reduzir o número de acidentes e mortes se não houver uma fiscalização mais atuante."O consultor Horácio Figueira analisou por sete meses o comportamento de 628 motoristas em São Paulo para descobrir quais as infrações mais comuns. Avançar o sinal vermelho foi cometido por 2,5% dos motoristas. Apenas 0,3% deles foram multados.

_________________________

Aqui está uma utilização dos radares que eu aprovo: nos semáforos.
De notar que em S. Paulo há 4 mortos por dia e em Lisboa há 22 mortos por ano.

2 comentários:

Carlos Araujo disse...

O Penim com a sua miopia habitual e entretido a fazer contas de língua de fora como quem tem quarta classe mal feita, continua só a ler o que lhe convem:

"O processo educativo requer o estabelecimento de limites ", disse Scaringella, para engatar o seguinte raciocínio: "O sentimento de impunidade causa desrespeito à lei , que causa atitude de risco, que causa acidente, que causa vítimas."

Pelos vistos há fanáticos por todo lado. Só no mundo dos meninos de calções onde habita o Penim é que se pode fazer o que se bem entende.

F. Penim Redondo disse...

Se o Carlos Araujo aprender a ler vai ver que em SP eles estão preocupados com os condutores que passam com sinal vermelho e não com o desrespeito em abstracto de uma velocidade máxima em abstracto.

Estão a usar os radares para isso e eu concordo em absoluto.

Se os nossos radares forem postos nos cruzamentos e castigarem severamente quem desrespeite os sinais vermelhos eu apoio totalmente.

Claro que tudo isto é um pouco complexo para si...