quarta-feira, 3 de outubro de 2007

Radares apanharam 37 mil infractores no mês de Setembro

Diário de Notícias
3 de Outubro 2007




No último mês, os 21 radares instalados em Lisboa registaram quase 37 mil infracções, pouco mais de 1200 por dia. No entanto, este número é bem inferior ao registado inicialmente, em que a média diária foi de quatro mil. Ao todo, e desde 16 de Julho até às 24.00 do dia 1 de Outubro foram contabilizadas 129 749 infracções, até 6 de Setembro tinham sido 92 772, o que dá 36 977 desde esta data até às 24.00 do dia 1 de Outubro. O Túnel do Marquês continua a ser a zona com mais infracções, ultrapassando as 36 mil, e a Avenida Infante Dom Henrique a que regista as mais graves, sendo seguida pelo Túnel do Campo Grande.
Estes dados são conhecidos no dia em que a Comissão de Avaliação de Radares reuniu pela primeira vez para definir apenas métodos de trabalho. No entanto, algumas destas infracções acabam por ser anuladas. Segundo confirmou ao DN o comandante da Polícia Municipal, André Gomes, "não sabemos ainda qual é a percentagem, porque essa estatística ainda não está trabalhada, mas há uma parte que é anulada. À partida, acreditamos que se trata de uma minoria". A anulação acontece sempre que há dúvidas quanto à matrícula fotografada pelo radar. "Sempre que as imagens não permitem visualizar correctamente a matrícula, a infracção é anulada, mas, depois, esta é verificada e inspeccionada", explicou André Gomes.
Para o comandante, apesar de o número de irregularidades detectadas nos locais vigiados ainda ser elevado, há um objectivo que já foi alcançado: "Circula-se com menos velocidade em toda a capital, mesmo nas zonas sem radares. As pessoas estão mais cautelosas", argumentou. Contudo, há algumas que continuam a ignorar os limites impostos e que diariamente ultrapassam a barreira dos 100 km/h ou os 200 km/h, como aconteceu na Radial de Benfica.A Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR) aprovou o aumento de velocidade na Radial de Benfica, Segunda Circular e no prolongamento da Avenida dos Estados Unidos da América, que passou para os 80 km/h.

__________________________

Lamento ter de discordar do senhor comandante da PM, André Gomes, mas não está de forma alguma demonstrada a afirmação “Circula-se com menos velocidade em toda a capital, mesmo nas zonas sem radares. As pessoas estão mais cautelosas”. A Comissão de Avaliação ainda mal começou o seu trabalho e não chegou, portanto, a qualquer conclusão sobre essa matéria.

3 comentários:

Anónimo disse...

Lamenta?! O Penim está a ficar mole...aqui há quinze dias o Sr. Comandante era um fundamentalista burocrata legalista! :-) Terá agora o Penim falta de coragem de dizer o que pensa?

Anónimo 2 disse...

Como é habitual, cá estão as autoridades a apresentar como factos as suas crenças pessoais (ou interesses obscuros). Naturalmente, e como sempre, não existe nenhuma informação sobre o assunto, nem tais afirmações são verificáveis... pior ainda, a experiência prática do dia-a-dia frequentemente deita por terra tais conclusões. Felizmente há quem lute por mudar este estado lamentável a que chegamos.

Anónimo disse...

Bom, quem sou eu para dizer seja o que for. Não é que acredite em radares, mas que os há, há, e que a velocidade baixou, baixou, e que os carros andam mais devagar, andam e que, quando os carros andam mais devagar, quem não anda de carro, ou seja, quem é peão, anda mais descansado, anda.
E quem sou eu para perguntar, se será pecado querer andar a pé.
Exiga o que quiser senhor Penim. Felizmente, o peão já ganhou