quinta-feira, 16 de agosto de 2007

Radares já apanharam 63 mil infractores

PÚBLICO
16 de Agosto 2007




Radares já apanharam 63 mil infractores

16.08.2007


Os 21 radares instalados em Lisboa, em funcionamento há um mês, são criticados
por especialistas e corre uma petição que reclama aumento do limite de velocidade


Os 21 radares de controlo de velocidade instalados em Lisboa, que completam hoje um mês de funcionamento, registaram mais de 63 mil infracções e foram alvo de críticas de vários especialistas. A petição dirigida ao presidente da autarquia que solicita o aumento do limite de velocidade em algumas das artérias onde estes equipamentos estão instalados já recolheu mais de 4300 assinaturas.
O sistema de controlo de velocidade entrou em funcionamento a 16 de Julho, tendo sido inaugurado pela então presidente da comissão administrativa da Câmara de Lisboa, Marina Ferreira, depois de uma espera de vários meses por um parecer positivo da Comissão Nacional de Protecção de Dados. Até à meia-noite de segunda-feira, registaram-se 63.262 infracções, mas este número poderá disparar nos próximos dias, uma vez que o sistema de comunicação de alguns radares encontra-se em reparações.
"Alguns radares estão com um problema na fibra óptica, em vias de resolução, o que está a evitar a transmissão das infracções registadas nesses locais, mas os radares não param de fotografar. Quando o problema for resolvido, iremos receber as infracções em atraso e aí o número irá aumentar", explicou Lopes Rodrigues, comissário da Polícia Municipal de Lisboa.
Segundo Lopes Rodrigues, o número total de infracções dos "aceleras" fotografados em excesso de velocidade pelos 21 radares na primeira semana foi de 21.695, ao contrário das 17.788 divulgadas na altura. "Os radares estão sempre a fotografar, mas só enviam as fotografias para o sistema quando atingem um determinado número de infracções, daí os números serem um pouco diferentes", justificou o comissário.
Segundo os dados da Polícia Municipal de Lisboa, na semana de 16 a 22 de Julho foram registadas 21.695 infracções, 16.823 infracções na semana de 23 a 29 de Julho e na semana de 30 de Julho a 5 de Agosto mais 12.162. O recorde de velocidade registou-se na Radial de Benfica com uma velocidade de 190 quilómetros/hora, mais 110 do que o limite permitido.
Os locais e limites dos 21 radares têm sido alvos de várias críticas, por exemplo do presidente do Automóvel Clube de Portugal, Carlos Barbosa, que qualificou a sua colocação como "arbitrária" e "sem critério". O especialista em transportes do Instituto Superior Técnico Fernando Nunes da Silva partilha a mesma opinião, declarando que os equipamentos foram instalados com base em "critérios desajustados da realidade".
As críticas surgem ainda na Internet, onde uma petição que pretende que o presidente da Câmara de Lisboa aumente os limites de velocidade para 80 km/h em artérias como a Avenida Infante D. Henrique, a Avenida de Ceuta, a Avenida Marechal Gomes da Costa e a Avenida Gago Coutinho, recolheu até ontem à tarde 4321 assinaturas. No documento, que António Costa já disse que irá avaliar, os subscritores consideram a imposição de não exceder os 50 km/h nestes locais "uma verdadeira aberração", que "dá sono, propicia distracções, provoca travagens bruscas e emperra visivelmente a circulação".
O sistema de controlo de velocidade está instalado nas avenidas das Descobertas, da Índia, Cidade do Porto, Brasília, de Ceuta, Infante D. Henrique, prolongamento da Estados Unidos da América, Marechal Gomes da Costa e Gago Coutinho e nos túneis do Campo Grande, do Marquês de Pombal e da Avenida João XXI - onde o limite de velocidade é de 50 km/h - e ainda na Radial de Benfica e na Segunda Circular, onde a velocidade máxima permitida é de 80 km/h. PÚBLICO/Lusa
63.262
Foi o número de infracções registado no primeiro mês de funcionamento dos radares

21.695
Foi o número de infracções registado na primeira semana de funcionamento dos radares

190
Foi a velocidade máxima, em km/h, atingida por um dos infractores na Radial de Benfica

4321
Pessoas subscreveram até ontem a petição que solicita o aumento de velocidade em algumas vias de Lisboa

2 comentários:

Carlos Gomes disse...

Cheira-me que esta história das avarias na fibra óptica dos radares não passa de um pretexto para travar a avalanche de multas sobre os lisboetas. O António Costa já deve ter percebido que o ritmo das multas é insustentável e que, a prazo, se vai converter numa revolução dos lisboetas.

SergioRZ disse...

Esse que passou a 190 devia ser algum ministro ou deputado...